sábado, 2 de setembro de 2017

Fachada de Casa Contemporânea

Olá pessoal!

O post de hoje apresenta pra vocês o projeto arquitetônico residencial dessa casa contemporânea que foi elaborada pelo nosso escritório.

Fachada frontal - Casa contemporânea - A Urbanística - Projeto Autoral - Acervo Pessoal.

A volumetria se destaca por sua composição e também pelo mix de materais que foram usados. A Pedra Portuguesa na cor preta marca o volume da entrada de pedestres e veículos e se repete na varanda da suíte master. A porta de entrada foi valorizada ao ter a mesma madeira que a sua revestindo também as paredes próximas a ela. Na fachada frontal e lateral esquerda um grande bloco ganha imponência ao ser revestido com porcelanato com impressão de concreto aparente.  

Vista Lateral - Casa contemporânea - A Urbanística - Projeto Autoral - Acervo Pessoal.

Para garantir a ventilação e a iluminação natural foram utilizados cobogós (ou elementos vazados - saiba mais sobre eles clicando aqui!) na garagem, na área de serviço e na área gourmet. O cobogó foi muito usado na arquitetura nas décadas de 50 e 60 e atualmente retomou um lugar de destaque em projetos modernos, pois além de funcional, suas formas geométricas criam uma estética única.

Fachada lateral esquerda - Casa contemporânea - A Urbanística - Projeto Autoral - Acervo Pessoal.

As linhas retas e simples associadas ao uso de diferentes materiais contribuíram para a criação de uma fachada diferenciada, moderna, atemporal e cheia de estilo. 

Nós amamos! O que vocês acharam?

Inspirem-se!

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Banheiro Moderno

Olá pessoal!

O post de hoje vai apresentar pra vocês um projeto autoral do nosso escritório.

Em 2015 fomos contratados para fazer o Design de Interiores de um banheiro residencial aqui em Dores de Campos. A obra já estava em andamento e o desejo do cliente era ter um banheiro sofisticado e funcional, com banheira, um box confortável para dois chuveiros e uma bancada espaçosa. O espaço disponível era um pouco limitado e não era possível fazer nenhuma ampliação, pois se tratava de um apartamento. 

Conforme o pedido do cliente criamos um layout que atendesse a todas as suas necessidades. O banheiro atende à suíte master, com acesso direto pelo quarto. Abaixo você confere o layout do banheiro com o posicionamento de todos os elementos.


Planta de Layout - A Urbanística - Arquivo pessoal.
Após a definição do layout o trabalho foi todo voltado para a escolha dos materiais. Todos foram selecionados com muita atenção, de forma que fossem de ótima qualidade, duráveis e que a composição entre eles fosse harmoniosa e compatível com as intenções do cliente.

Perspectiva do banheiro para definição dos materiais a serem utilizados - A Urbanística - Arquivo pessoal.
Para a bancada, o contorno da banheira e os nichos foi escolhido o mármore Carrarinha. O piso e os azulejos são da Portobello e o detalhe do revestimento de folhas é da Porcelanosa.

Durante a obra - A Urbanística - Acervo Pessoal.

Durante a obra - A Urbanística - Acervo pessoal.
Tudo ficou pronto no final de 2016 e em 2017 fomos conferir o pós-obra desse banheiro que ficou muito lindo! Amamos o resultado final e a forma como tudo ficou funcional e de acordo com o desejo do cliente. Os acabamentos em tons cinza deixaram o ambiente sofisticado e mais masculino. Para o armário da bancada a cor escolhida foi o berinjela que trouxe destaque e mais movimento à composição.

Confira o resultado abaixo!!! 
Vista da banheira - A Urbanística - Foto de Jefferson Lopes.

Vista da banheira - A Urbanística - Foto de Jefferson Lopes.

Vista da bancada e do box - Detalhe da iluminação indireta - A Urbanística - Foto de Jefferson Lopes.

Metais lindos da Deca - A Urbanística - Foto de Jefferson Lopes.

Detalhes da decoração - A Urbanística - Foto de Jefferson Lopes.

Detalhes dos espelhos - A Urbanística - Foto de Jefferson Lopes.

Detalhe da bancada com seu armário berinjela- A Urbanística - Foto de Jefferson Lopes.

Detalhes dos metais - A Urbanística - Foto de Jefferson Lopes.

Detalhe do armário - A Urbanística - Foto de Jefferson Lopes.

Detalhe dos chuveiros - A Urbanística - Foto de Jefferson Lopes.

Detalhe do box - A Urbanística - Foto de Jefferson Lopes.

Detalhe do ralo do box - A Urbanística - Foto de Jefferson Lopes.

Detalhe da bancada - A Urbanística - Foto de Jefferson Lopes.

Nós amamos cada detalhe! E vocês, o que acharam?
Deixem seus comentários pra gente!

Inspirem-se!

sábado, 4 de fevereiro de 2017

Fachada da casa: com ou sem telhado?

Olá pessoal!

Essa é uma dúvida que toda pessoa que vai construir tem em algum momento: “Colocar ou não telhado na casa”? Na verdade, existem realmente diferentes opções e isso pode mesmo causar dúvida, pois, além de alterar o preço da obra, muda também a sua estética por completo.

Nessa casa o telhado foi usado em vários planos diferentes criando uma fachada movimentada e moderna. Detalhe do volume onde está a caixa d'água, lá o telhado é embutido. Nela também foi feito o beiral de concreto finalizando o acabamento do telhado (lindo!). Casa com telhado aparente que será construída no Bairro Residencial Cachoeirinha em Dores de Campos, MG - Projeto da A Urbanística/2016 - Acervo Pessoal.


A casa tem o telhado todo embutido. Os diferentes materiais usados na fachada criaram a atmosfera moderna. Detalhe da laje impermeabilizada na varanda. Casa com telhado embutido que será construída no Bairro Freitas em Dores de Campos, MG - Projeto da A Urbanística/2016 - Acervo Pessoal.

Então vamos por etapas. Vou explicar um pouco sobre cada opção e falar também sobre como ela influencia no preço da construção.

Casa com telhado: são as mais tradicionais e difundidas. O telhado pode ser feito com telhas de diferentes materiais (cerâmica, cimento, barro) e cores (vermelha, marfim, cinza e outras). Cada tipo de telha precisa de uma determinada inclinação para garantir o perfeito escoamento da água, por isso, existem diversas possibilidades de criar um telhado único. O telhado é também uma ótima estratégia para melhorar o conforto térmico da casa, pois protege a laje da incidência direta do sol, garantindo aquele frescor que todo mundo adora. Quem também não ama aquele telhado de várias águas? As águas do telhado são os diferentes planos (lados) por onde a água escorre. Quanto mais planos, mais complexo e mais diferente fica o telhado. A estrutura dele pode ser de madeira ou mesmo de ferro, tudo dependerá do gosto do cliente. Existem também os telhados que tem um acabamento de beiral de concreto ou madeira, que é um charme! Com relação aos custos, a casa com telhado acaba ficando mais cara, pois você precisa investir na mão de obra especializada (carpinteiro), na estrutura (madeira ou outro material) e nas telhas (que dependendo do material e do acabamento ficam mais caras). Agora, falando de estética, o telhado aparente será sempre a melhor solução para quem busca uma solução mais rústica, colonial, com jeitinho de Alpes Suíços, com cara de casa antiga... Mas, claro, é possível criar casas super modernas usando telhado à vista! O telhado será sempre uma parte da edificação, mas o que irá conferir a ela um estilo é o conjunto total. Então se você gosta de telhado, fique tranquilo, ele será muito bem vindo em praticamente todas as formas e estilos que você sonhou.

Na Casa de Veraneio o telhado aparente em telhas cerâmicas vermelhas trás o charme e o jeito rústico pedidos pelo cliente. Casa com telhado aparente que será construída na Estação de Prados, Zona Rural de Prados, MG - Projeto da A Urbanística/2016 - Acervo Pessoal.

Nessa casa super moderna o telhado aparente conta com beiral de concreto pintado de branco. Casa com telhado aparente que será construída em Santo Antônio da Alegria, SP. Projeto da Arquiteta e Urbanista Maísa Damaso.

O telhado também possui beiral, mas nesse caso de madeira pintada de branco. Casa com telhado aparente - estudo de caso de uma casa a ser construída no Bairro Centro em Dores de Campos, MG - Projeto da A Urbanística/2016 - Acervo Pessoal.

A telha de cimento na cor cinza foi usada na composição de um telhado de várias água que era o sonho do cliente. Casa com telhado aparente em construção no Bairro Alto Cardoso em Dores de Campos, MG - Projeto da A Urbanística/2013 - Acervo Pessoal.

A opção do cliente foi a telha esmaltada na cor cinza escuro. O telhado em várias águas foi o responsável por criar parte da volumetria da fachada. Casa com telhado aparente em execução no Bairro Alto Cardoso em Dores de Campos, MG - Projeto da A Urbanística/2015 - Acervo Pessoal.


Casa sem telhado: estão muito ligadas a ideia de modernidade. A casa pode ter telhado embutido (que fica escondido atrás de paredes chamadas platibandas) ou ter apenas a laje impermeabilizada. As soluções de drenagem precisam ser muito bem executadas para não criar nenhum tipo de infiltração na laje. Quando penso numa casa sem telhado, logo me lembro daquelas casas super modernas, com vários elementos na fachada em diferentes alturas, fazendo lindas composições. Sim, se a sua casa não tem telhado aparente você precisa estudar diferentes formas de fazê-la ter movimento e ser interessante e trabalhar com alturas variadas, paredes em planos diferentes e ousar nos materiais para torná-la única. A casa sem telhado ou com telhado embutido geralmente fica mais barata, pois quem embute o telhado costuma usar uma telha mais barata, como a de fibrocimento, ela tem inclinação menor e como o madeiramento ficará “escondido”, pode ser feito com uma madeira mais rústica. E há também a possibilidade de investir só na impermeabilização da laje, sem custos com telhado. Esteticamente falando, essa é a solução mais utilizada por quem quer uma casa mais moderna, mas precisa ser trabalhada com cuidado para que a casa não fique monótona.

O telhado embutido deixa a fachada em evidência, assim o uso de diferentes cores e texturas garante uma fachada interessante. Casa com telhado embutido - casa a ser construída no Bairro Centro em Dores de Campos, MG - Projeto da A Urbanística/2014 - Acervo Pessoal.

A platibanda foi pintada de branco para destacar o coroamento da casa, colocando em evidência que o telhado está embutido. Casa com telhado embutido - casa a ser construída em Santo Antônio da Alegria, SP - Projeto da Arquiteta e Urbanista Maísa Damaso.

Diferentes alturas de platibanda foram usadas para criar uma volumetria interessante na edificação. Sobrado com telhado embutido a ser construído em Santo Antônio da Alegria, SP - Projeto da Arquiteta e Urbanista Maísa Damaso.

Cores e texturas compõem essa fachada linda e moderna. Casa com telhado embutido - casa a ser construída no Bairro Paloma em Dores de Campos, MG - Projeto da A Urbanística/2016 - Acervo Pessoal.

Detalhe do telhado embutido em uma edificação (telha de fibrocimento). É possível identificar uma outra parte da obra onde o telhado será aparente e com beiral de concreto. Casa com telhado embutido em execução no Bairro Centro em Dores de Campos, MG - Projeto da A Urbanística/2014 - Acervo Pessoal.


E você, já construiu ou ainda vai construir a sua casa? Ela tem telhado ou não? Qual opção você prefere? Deixe seu comentário contando pra gente a sua experiência e o seu sonho!


Inspirem-se!

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Casa Design Juiz de Fora – Espaço Varanda

Olá pessoal!

O post de hoje, como prometido, é para falar sobre a mostra de arquitetura, decoração e paisagismo que visitei esse mês em Juiz de Fora, MG. A mostra Casa Design é um evento importante na cidade de Niterói, RJ e desde 2015 acontece também em Juiz de Fora, MG.

Esse ano a Casa Design – Juiz de Fora conta com 27 ambientes e 38 arquitetos. Passei a última tarde de domingo junto com meu marido conhecendo a casa que recebeu a mostra. Trata-se de uma casa de dois pavimentos com ambientes amplos, jardins e piscina. Já deu pra sentir o drama, não é? O que mais amo nessas oportunidades é me sentir empolgada, ver coisas novas e me apaixonar por detalhes! Sempre tem aquele sentimento de “esse eu quero pra mim” e “quero colocar isso num projeto” ou “isso é a cara daquele cliente”.

Apresentarei pra vocês um pouco do que mais gostei. Para poder detalhar melhor cada ambiente farei uma seqüência de posts tratando separadamente cada espaço. Espero que gostem!

O primeiro ambiente que me chamou atenção foi o Espaço Varanda das arquitetas Nicole Gattás e Ariane Vieira do Viga Arquitetas. Elas apostaram no uso de materiais naturais como madeira e pedras e também num mobiliário mais despojado criando um ambiente super aconchegante como transição entre espaço exterior e interior. O resultado disso? Eu não queria entrar na casa... Poderia ter ficado horas só ali na varanda! A mistura de materiais e detalhes me prendia a cada canto que eu olhava e fiquei louca pra testar cada poltrona.



Espaço Varanda - Projeto das arquitetas Nicole Gattás e Ariane Vieira para a mostra Casa Design JF 2016. Foto disponível em: http://www.mostracasadesign.com/ambientes-jf


Fiquei encantada logo na entrada com o detalhe criado com peças de madeira que ao mesmo tempo sustentava o telhado e fazia o fechamento lateral da varanda. Em seus nichos ele tinha cachepots e essa estrutura de madeira se estendia pelo telhado criando vigas, tipo um pergolado. Ele marcava o espaço destinado a uma mesa de refeições, tudo muito bem pensado.

Detalhe da estrutura de madeira com cachepots que fazia o fechamento lateral da varanda e criava uma estrutura de vigas no telhado. Foto: Acervo pessoal.


A partir dali fiquei estudando a forma como as arquitetas revestiram a parede com uma estrutura de ferragens que acomodou milhares de pedras portuguesas soltas. Muito criativo! A textura era linda, me peguei admirando a parede quase todo o tempo. A ferragem cruzada para conter as pedras também foi usada como base pra um jardim vertical muito delicado.

Jardim vertical super delicado na estrutura de ferragens cruzadas. Foto: Acervo pessoal.


A pedra e a madeira também estavam presentes no piso.

Luminária linda que se destacava no ambiente. Foto: Acervo pessoal.


O estofado dos móveis de cor off White com detalhes azul trouxe calma ao local. Tudo de muito bom gosto.

Objetos usados na decoração. Morrendo de amores por essas mesinhas de canto tipo banquetas. Foto: Acervo pessoal.


Resumo da ópera? “Eu quero colocar isso num projeto”! Inspirador!

E vocês, gostaram? Qual detalhe mais chamou sua atenção?


Inspirem-se!

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Canto Alemão – uma nova composição para a sala de jantar

Olá pessoal!

No último final de semana visitei uma mostra de arquitetura, decoração e paisagismo na cidade de Juiz de Fora, MG, a Casa Design. A mostra apresentou ambientes lindíssimos e em breve farei um post sobre ela contando pra vocês cada detalhe. Inspiração, essa é a palavra de ordem de toda boa mostra e foi assim que voltei pra casa, com a cabeça repleta de ideias e apaixonada por muitas soluções.

Um dos ambientes que mais gostei foi a Sala de Jantar criada pela Arquiteta e Design de Interiores Maria Paula Schettino e o que me chamou mais atenção no projeto foi a forma como ela criou o espaço de refeições. No lugar da tradicional mesa de jantar e suas cadeiras ela utilizou o Canto Alemão. O Canto Alemão é formado pelo conjunto de mesa + cadeiras + sofá, sendo que o sofá fica sempre encostado em uma parede podendo ser em formato de “L” ou não. Ao utilizar essa composição é possível acomodar um maior número de pessoas, do que numa mesa de jantar convencional com as mesmas dimensões.  

Projeto da Arquiteta e Design de Interiores Maria Paula Schettino para a Casa Design Juiz de Fora 2016.


O Canto Alemão é uma ótima opção quando o espaço disponível para a Sala de Jantar não é muito grande e também para criar um ambiente diferente e mais acolhedor. As possibilidades de combinação são inúmeras e você pode fazê-lo de acordo com seu gosto. O ideal é que o banco seja feito sob medida, assim você garante a perfeição da composição. 

Foto disponível em: http://blog-ultimoandar.blogspot.com/2016/05/canto-alemao.html 

A composição a ser criada dependerá do espaço disponível e do gosto de cada um. A mesa quadrada que antes acomodaria apenas 4 pessoas poderá receber 5 ou 6 amigos. Aqui o charme ficou por conta da combinação de diferentes materiais, a mesa é de laca branca e as cadeiras e o banco são de madeira com o estofado e as almofadas claras. Detalhe lindo do espelho nas duas paredes que ampliou o espaço. 

Projeto da Designer de Interiores Andrezza Alencar. Foto de Edu Castelo/ Casa e Jardim.

Uma ótima ideia é aproveitar o banco não apenas como assento, mas utilizar o espaço embaixo dele como baú para guardar coisas e como prateleira.   

Projeto de Karla Amaral Madrilis.

Sofá todo estofado de branco, mesa de madeira e cadeira rústica. Ambiente perfeito para relaxar.

Foto disponível em: http://www.jasabia.com.br/melhores-ideias-para-sala-de-jantar-pequena/

Mesa de madeira com tampo de vidro, cadeiras estofadas e banco de madeira compondo com o painel da parede. Chique e sofisticado.

Foto disponível em: http://pro.casa.abril.com.br/photo/sala-jantar-663?context=user

Canto Alemão super moderno! O gesso com iluminação indireta e a luminária trabalhada marcaram a posição da mesa de jantar. A mesa de laca branca e as cadeiras com design arrojado criaram a atmosfera requintada.

Foto disponível em: http://www.seujeitosuacasa.com/2015/09/canto-alemao.html

Imagina fazer o "happy hour" em casa? Esse cantinho ficou super moderno e acolhedor. Vontade de ficar horas ali com os amigos conversando.

Foto disponível em: http://sglivingpod.com/home-decor/small-apartment-interior-design-tips/

Praticidade no mobiliário que funciona como baú para guardar o que você quiser.

Projeto da Arquiteta Giselle Macedo e da Designer de Interiores Patrícia Covolo.

Linda composição com mesa de jantar redonda.

Foto disponível em: http://carlaaston.com/designed/beige-to-gray-interior-2

O Canto Alemão é mesmo uma forma inspiradora de fazer a sala de jantar de uma maneira totalmente nova, não é mesmo? 

O que vocês acharam? De qual gostaram mais?

Inspirem-se!

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Como decorar o seu banheiro – Cubas

Olá pessoal!

Quando o assunto é decoração não existe uma regra que te diga a maneira exata de combinar as coisas. A beleza e a sofisticação de um ambiente estão nos detalhes que o compõe e que devem ser escolhidos com cuidado. Não há regra, mas é preciso bom gosto e bastante senso crítico para entender como cada coisa pode se encaixar na decoração.

O banheiro, por exemplo, é um ambiente que quando projetado e executado com esmero, pode deixar de ser apenas um cômodo de banho e se tornar um local extremamente funcional, prático e claro, bonito. No projeto de um banheiro um elemento que deve ser planejado com muita atenção é o lavatório. Antigamente era muito comum os lavatórios serem de louça com coluna, hoje o que vemos é uma infinidade de opções, das quais as bancadas de granito com cuba tem destaque.

Existem diversos modelos de cubas, com os mais variados designs, preços e funcionalidades. São as peculiaridades de cada uma aliadas aos seus desejos que vão pautar a escolha que melhor atenderá ao seu projeto. Conheça abaixo os diferentes tipos de cubas mais difundidos no mercado:


A cuba de embutir é o modelo mais difundido e também o mais econômico. Pode ter diferentes formatos, os quais precisam ser recortados na bancada com a medida exata da cuba para que ela seja colada por baixo da pedra.

Bancada de mármore com cuba de embutir oval. Fonte: https://www.pinterest.com/pin/502010689686284596/

A cuba de apoio é atualmente um item de desejo, amplamente utilizada em projetos de designers famosos e com uma variedade incrível de cores, materiais e formas. Trata-se de uma peça que é colocada inteiramente sobre a bancada e que precisa de apenas um furo para o escoamento da água. Caso você utilize esse tipo de cuba é preciso ficar atento para dois detalhes importantes: a torneira e a altura da bancada. Você deve se atentar ao modelo da torneira que irá comprar e a forma como vai instalá-la. Se optar por uma torneira instalada na bancada ela deverá ser mais alta que a cuba para permitir um uso funcional da mesma. Caso escolha uma torneira de parede também será preciso instalar a cuba de forma que a água não caia muito perto da lateral. Quanto a altura da bancada, com o uso de uma cuba de apoio a bancada deverá ser mais baixa que o convencional, sendo que a parte superior da cuba deverá ter a altura final de uma bancada convencional.

Cuba de apoio da Suíte do Casal – Residência Cardoso / Projeto: A Urbanística / Foto: Alpha 7 Photo Design.

A cuba de sobrepor é parecida com a de embutir, mas são coladas pelo lado de cima da bancada, deixando uma margem aparente que realça o modelo escolhido. Nesse modelo também é preciso recortar a bancada com o mesmo formato da cuba.

Cuba de sobrepor na bancada de madeira. Fonte: https://www.pinterest.com/pin/216313588326365889/

A cuba de semi-encaixe é fixada na bancada apenas pela parte de trás, sendo que a parte da frente fica para fora da bancada. Esse modelo é ideal para as ocasiões em que não se dispõe de muito espaço para dar maior profundidade para a bancada. Você também pode encontrar no mercado a cuba de semi-encaixe que vem com toalheiro fixado na parte frontal, um elemento de bastante praticidade.

Cuba de semi-encaixe com toalheiro. Fonte: http://www.morasbessone.com.br/imagens/cuba-de-semi-encaixe/

A cuba de parede não precisa de bancada e é instalada diretamente na parede. Geralmente são maiores e contam com saboneteira. Mas você pode incluir uma bancada ao lado da cuba para usar como suporte para os utensílios do banheiro, madeira e vidro são boas opções a serem usadas, já que a bancada não terá contato direto com a água.

Cuba de parede desenhada pelo italiano Stefano Giovannoni para a linha Ilbagno Alessi One, da Laufen.

A cuba esculpida é feita do mesmo material da bancada, pode ser de granito, mármore, silestone, porcelanato, entre outros. Não indico muito o mármore, pois ele não reage muito bem ao contato com a água. O ideal é fazer o caimento da cuba escondendo o ralo e que essa peça seja removível para que a sua limpeza seja mais adequada.

Bancada esculpida no granito. Fonte: http://criaarquitetura.com.br/index.php/portifolio/mostra/residencia-interiores-alphaville-03

Os preços, os materiais e as cores variam bastante, assim como a funcionalidade de cada cuba. Antes de comprar a sua avalie bem qual modelo melhor se encaixará no seu banheiro, qual pode te trazer mais benefícios e também o que você achar mais bonito. Como eu disse antes, não existe uma regra pra combinar as coisas, o que você precisa é de planejamento, bastante atenção e bom gosto no projeto do seu banheiro e durante a execução dele.

Para ver como todas essas cubas podem ser usadas de forma sofisticada em banheiros e lavabos clique aqui e aqui!

Você tem alguma experiência com tipos diferentes de cubas e gostaria de compartilhar com os nossos leitores? Você tem alguma dúvida relacionada aos modelos de cubas e não sabe qual adquirir? Poste aqui nos comentários!

Vejo vocês em breve!